quarta-feira, 23 de março de 2011

Eu

Uma das tarefas do Desafio de Primavera consiste em fazer uma descrição de mim própria. Essa descrição deve incluir cinco defeitos e seis qualidades. Devo também identificar dois defeitos que queira superar e como.
Vou começar pelas qualidades. Para mim é o mais difícil de fazer.
  • Sou uma mãe a sério. Os meus filhos são a minha prioridade, mesmo que isso implique ter menos (ou nenhum) tempo para mim.
  • Considero-me uma pessoa modesta e isso para mim é uma qualidade. Não me costumo andar a vangloriar daquilo que faço bem feito nem das boas acções que pratico (só aqui).
  • Sou uma pessoa com quem se pode contar sempre. Se um amigo precisa, eu estou lá. Se percebo que sou necessária, disponibilizo-me. Consigo criar uma relação próxima com os meus alunos e eles sabem que podem contar comigo.
  • Sou simpática e procuro sempre não magoar os outros. Evito assuntos que penso magoarem as pessoas com quem estou a falar. Por exemplo, não falo das alegrias da maternidade a uma pessoa que sei que há anos que tenta engravidar e não consegue. Não me queixo de que estou gorda a uma amiga que precisa de perder o dobro do peso que eu preciso.
  • Sou voluntária numa actividade que não quero identificar, mas que me exige bastante tempo. Mas faço-o de coração aberto.
  • Não sou rancorosa. Esqueço-me muito depressa do mal que me fazem e das irritações que me provocam.
Agora vamos aos defeitos:
  • Sou uma procrastinadora preguiçosa. Não faças hoje o que podes deixar para amanhã. Nem sei como é que não deixei esta tarefa para o último dia.
  • Guardo tudo o que posso, pensando que me pode vir a ser útil um dia. Acumulo muita tralha. E de uma forma muito pouco organizada. A minha casa parece arrumada mas é só para quem vem de fora. Dentro de cada armário, de cada gaveta, existe um pequeno caos.
  • Resolvo as minhas frustrações com um frasco de nutella. Ou com um pacote de batatas fritas. Ou com qualquer coisa bastante calórica e gordurosa.
  • Sou muito, muito insegura. Acho sempre que determinada roupa me fica mal, que pareço ridícula, que se vêem os pneus...
  • Roubo os doces dos meus filhos. Se têm um chocolate, saquinhos das festas, smarties... Vou comendo tudo às escondidas e depois reponho antes que eles descubram. E depois volto a comer, e depois a roubar e depois....
Os defeitos em que me tenho centrado a ultrapassar de uma forma mais persistente são aqueles que dizem respeito à alimentação, o terceiro e o quinto. Tento focar-me no meu objectivo de perder peso e antes de ir aos doces dos miúdos entupo-me com água, nem sempre resulta.
Também tenho tentado combater a questão da tralha e da desorganização. Há muitas coisas que deito logo fora ou dou. Regularmente ataco um armário ou uma gaveta e separo o que é para dar ou para deitar fora  e tento não ceder à tentação de guardar tudo. Principalmente se me traz boas recordações. Roupas ou brinquedos dos miúdos de quando eram bebés é para mim o mais difícil. Ainda tenho muitas coisas guardadas, mas já dei bastantes e  àquelas que me custava mais dar tirei fotografias. Mesmo assim ainda vou ter uma grande luta nesse sentido, pois é impraticável manter tudo o que ainda tenho.

3 comentários:

Marie disse...

A minha mãe é igualzinha! Guarda todas as porcarias possiveis e imaginárias! Porque me faz lembrar isto, porque ainda ei-de precisar disto para alguma coisa, porque sim, ... Aii... :P

Su disse...

Lindinha,

A parte das qualidades podia ser eu, excepto na parte do esquecer rapidamente o que me fazem.Não sou rancorosa, perdoo com facilidade mas não esqueço.
Quanto ao acumular coisas eu também sou bastante apegada e só este ano me libertei desse sentimento que está intimamente ligado ao nosso engordar e a um sentimento de insegurança (faz sentido para ti?). Penso que há momentos certos para tudo e precisamos de estar preparadas para fazer as coisas. Uma linha guia fundamental tem sido libertar-me de tudo o que não me faça sorrir.
Beijocas linda

Joana disse...

Eu também tenho muita coisa guardada e sou desorganizada, ando a tratar de fazer uma selecção e dar o que está a mais. Beijo e força*